temas

BlogTrip x Ação Publicitária: convidado ou contratado?

pordosol copyNa essência, as press trips (ou blog trips ou famtours)  são positivas. São uma oportunidade de apresentar um destino a um grupo formador de opinião, seja de jornalistas, blogueiros ou agentes de viagem (no caso das famtours). Várias press trips ou blog trips são muito bem organizadas por assessorias de imprensa ou de comunicação, dentro de padrões normais de relacionamento entre anfitriões, organizadores e convidados.

Algumas vezes, no entanto, o sentido original – apresentar um destino a um grupo formador de opinião – se perde e a viagem se transforma numa ação promocional ou em um evento cujo objetivo é a exposição nas redes sociais. E quando isso ocorre, as linhas de fronteira se embaralham, o destino fica em segundo plano e o blogueiro é colocado sob os holofotes. Nesses casos, vale mais a espuma, o oba oba e a ilusão criada nas redes sociais de que determinado destino é “in” porque um grupo de blogueiros se reuniu lá. Muitas vezes o blogueiro não se dá conta de que essa ilusão está sendo criada as suas custas e de que há um uso público da sua imagem.

Para ajudar a esclarecer o assunto e desembaralhar as linhas de fronteira, nós, da ABBV, fizemos abaixo uma lista com orientações aos nossos associados sobre o que não é pertinente numa press trip ou numa blog trip, explicando, em alguns casos, como são as práticas que consideramos corretas nesse tipo de ação.

Marcar prazo para publicação dos posts – Quem determina quando os posts sobre uma viagem começarão a ser publicados é o blogueiro e não quem convida para a press trip. Se o organizador da blog trip quer estabelecer prazo para você, não tenha dúvida de que se trata de uma ação promocional que ele organizou disfarçada de press trip. A preocupação dele é mostrar resultado rápido para quem o contratou.

Determinar a quantidade de posts ou fotos – Vale o mesmo dito acima. É você quem sabe quanto uma viagem vai render em termos de conteúdo e até se vai render algo. Se você está sendo cobrado pelo organizador da viagem, é porque ele prometeu alguma coisa para quem o contratou. Ou seja, de novo, não é blog trip, é ação promocional.

Usar camiseta do evento e posar para fotos – Definitivamente isso não é praxe em press trips ou blog trips. Quando uma viagem de blogueiros tem uma logomarca e camiseta, é uma ação promocional. Pedir que os blogueiros usem a camiseta e posem para fotos ou gravem vídeos em que aparecem usando a camiseta configura claramente uso da imagem com objetivos promocionais.

Gravar depoimentos em vídeo sobre o destino – Se o vídeo está sendo feito para ser exibido ao público, trata-se de uma ação promocional. Mais uma vez é a imagem do blogueiro sendo usada de maneira comercial para tentar convencer o consumidor de que determinado destino vale a pena ser visitado. Há casos, no entanto, em que vídeos ou fotos são feitos para registro da viagem com fins institucionais – ou seja, o destino quer guardar uma memória daquela viagem para mostrar em convenções internas ou em apresentações em eventos do trade etc.

Na dúvida, pergunte qual o objetivo do vídeo, onde será exibido e não se sinta constrangido em recusar caso não esteja confortável com a idéia. De preferência, peça para assinar um termo de direito de uso de imagem onde as condições de exibição do vídeo estejam bem claras.

Exigir uso de hashtags do destino ou da viagem – Os organizadores de uma blog trip ou press trip podem sim pedir que você use hashtags do destino em seus perfis nas redes sociais. Não podem, no entanto, exigir – afinal você é um convidado, não um contratado.

Se a viagem, por outro lado, tem uma hashtag própria e para os organizadores ela tem tanta importância quanto a hashtag do destino, então trata-se de uma ação promocional.

Chamar de “ação”, “encontro” ou algo similar – Blogueiro, desconfie quando isso acontecer. Press trip é press trip. Blog trip é blog trip. Os nomes já estão consolidados e quem é da área conhece o formato da viagem. Quando um convite chega oferecendo participação em uma “ação” ou um “encontro” de blogueiros, pergunte mais para esclarecer o formato e objetivos dessa viagem. Há fortes chances de ser uma ação promocional.

Para resumir:

Os objetivos de uma ação promocional são principalmente chegar diretamente ao consumidor usando imagem e nome dos blogueiros. Vale ressaltar que os blogueiros não são remunerados por isso – na visão de quem convida, o “pagamento” é a viagem. Nas ações promocionais, existe a preocupação de que a viagem em si seja tornada pública, preferencialmente através das redes sociais. Além disso, espera-se o “retorno” dos blogueiros, isto é, a publicação de posts no blog, tweets, fotos no Instagram.

Já os objetivos de uma press trip ou blog trip são chegar ao consumidor através do conteúdo produzido pelo jornalista ou pelo blogueiro. O público na maior parte das vezes não é informado da realização da viagem, no máximo fica sabendo que o jornalista ou blogueiro viajou a convite. O blogueiro não tem sua imagem explorada.

O que você deve se perguntar:

Na dúvida sobre se um determinado pedido dos organizadores da viagem é ou não uma exploração da sua imagem ou do seu trabalho, pergunte a você mesmo se esse pedido seria feito a um representante de um veículo da mídia tradicional ou de um veículo “de nome”. Se não é pedido a ele, por que é pedido a você?

Se você é associado ABBV, lembre-se de que nosso fórum está sempre aberto a questões e sinta-se à vontade para tirar duas dúvidas sobre este assunto lá.

E se há dúvida sobre se vale a pena participar de uma ação promocional envolvendo blogueiros na qual a “remuneração” é a viagem, pergunte-se até que ponto você está disposto a deixar sua imagem e seu nome serem usados e até que ponto você está disposto a trabalhar de graça.

* Crédito da foto: freeimages.com

Facebook Twitter Plusone

Deixe seu comentário:





Comentários