temas

#ABBVnaWTM | “Growth hacking“no setor de viagens e turismo – Como as startups estão mudando o setor e o que você pode aprender com isso

Growth Hacking post abbv

Por Camilla Kafino - Ensaios de Viagem | Especial para a ABBV

A ideia de utilizar ferramentas tecnológicas já existentes para alavancar novos negócios é a base do conceito de Growth Hacking. A partir desse conceito, startups têm surgido e prosperado no mercado de viagens utilizando-se principalmente das redes sociais.

Segundo o dinamarquês Nikolay Astrup, fundador da Workaway, o mais importante nesse trabalho de growth hacking é que os dados da startup são 100% direcionados, ou seja, o objetivo é atingir o real consumidor do seu produto direcionando a informação com base no perfil existente desse consumidor nas redes sociais, por exemplo.

Outras características apontadas por ele que fazem valer a pena esse modelo de negócio são o baixo investimento associado ao alto retorno construído a partir de algo que tenha potencial para viralizar. Nesse sentido, as startups do mercado de turismo se contrapõem ao mercado tradicional de viagens devido sua alta capacidade de crescimento e alcance instantâneo de um número muito grande de potenciais consumidores.

Para fazer esse tipo de negócio dar certo é preciso saber localizar e utilizar parceiros estratégicos para o seu nicho de negócio, mas acima de tudo ultrapassar os atuais limites em busca de algo novo e em busca de novos caminhos para fazer o que já se faz.

A nova mentalidade que surge com as startups provoca no mercado tradicional um certo desconforto e isso por si só já é uma excelente razão para que esse mercado se preocupe ou ao menos preste atenção nesse novo segmento.

Afinal pequenos empreendedores estão surgindo com alcance enorme de público, utilizando baixíssimo investimento, fazendo um trabalho totalmente direcionado ao público alvo e que tem mostrado resultados cada vez melhores.

A melhor mudança que o modelo dessas startups poderia trazer para o mercado tradicional é a flexibilização da cultura empresarial atual devido a essa nova mentalidade na forma de empreender.

Nikolay dá ainda algumas dicas de como começar a sua própria startup, baseado em sua experiência com a Workaway:

1. Usar a mentalidade de growth hacking;

2. Começar experimentando e sem medo de falhar, pois nem sempre sua primeira tentativa será aquela dará certo;

3. Ir aonde o growth hacking vai;

4. E o mais importante, mudar e usar a imaginação – quanto mais você fizer isso, mais será um hábito, mais ideias aparecerão.

Os slides da palestra estão disponíveis aqui.

________________________________

Camilla Kafino é autora do blog Ensaios de Viagem e faz parte da equipe de cobertura da ABBV na WTM Latin America 2015.

Facebook Twitter Plusone

Deixe seu comentário:





Comentários