Publicado em

Aprendendo a viver, aprendendo a blogar…

BY: ABBV10 COMMENTS CATEGORY: Criação de conteúdo

Por Marcie Grynblat Pellicano |

Vocês já experimentaram guglar as key words "travel blogs"? Bem, se o fizerem, vão descobrir que existem 2.120.000.000 de resultados. Vou repetir por extenso só para tentar passar a real dimensão da coisa: dois bilhões, cento e vinte milhões! E para a gente ter uma base de comparação, existem apenas (apenas é modo de dizer) 36.100.000 de "culinary blogs" (portanto, quase 60 vezes menos). Ou 145.000.000 milhões de literature blogs (quer dizer, quase 15 vezes menos). Ou 1.990.000.000 de political blogs (o que ainda não ultrapassa o total de nossa categoria).

Claro que a pergunta óbvia aqui seria: qual é o motivo de tão maciça preferência? Mas a resposta infelizmente transcende os objetivos deste post. O que pretendo, ao alardear o total de blogs de viagem, é simplesmente enfatizar o peso da responsabilidade que recai sobre todo blogueiro que decida fazer um trabalho responsável - uma carga maior do que o backpack de um mochileiro escandinavo a caminho de Machu Picchu...

Mas, agora falando sério, como é que a gente faz para conseguir um lugar ao sol nessa praia coalhada de milhões de assim chamados travel bloggers? Embora não tenha a pretensão de conhecer a matéria ou muito menos o caminho das pedras, existem lições que a vida não cansa de ensinar e que se aplicam perfeitamente ao caso.

A primeira é que você só faz bem o que você de fato gosta de fazer. Por exemplo, "vou ser blogueiro de viagem por que gosto de viajar" não é exatamente a melhor porta de entrada para a atividade. Se você gosta de viajar, viaje. Relatar a viagem, entretanto, é tutta un'altra storia... Tem que gostar disso também. Não que você não possa fazê-lo (longe de mim ditar regras) mas lembre-se de que são coisas diferentes.

A segunda lição é: decidiu fazer, procure fazer direito. Mesmo que o blog não seja a primeira ocupação de 99% dos blogueiros de viagem, não dá para negligenciar a tarefa. Lembre-se de que você está indo para o ar e para sempre: escreveu, não tem como apagar. Seja prudente, portanto. Procure falar do que você conhece. Informe-se. E não tente açambarcar o mundo: defina seu território e atenha-se a ele. Se você decidiu escrever sobre as variações do sorvete de casquinha nos países mediterrâneos, é inútil querer incluir balonismo na Capadócia...

Sem me alongar - coisa que só fica bem em academias de ginástica - fecho com o que considero a precondição mais importante (precondição, eu disse) de qualquer atividade: conhecer suficientemente sua ferramenta de trabalho - que, no caso do blogueiro, é a língua. E como é que a gente faz isso? Gramática e leitura. Infelizmente ainda não inventaram nada que substitua isso. Gramática é simples: bastam dois ou três bons compêndios e consultas frequentes. Leitura já é uma outra

história. A gente tem que ocupar a cabeça com o que realmente interessa e não com o que um autor chamou de “inferior mental occupation”. Ler os bons do passado e do presente. Na própria categoria Travel Writing, escolha é o que não falta: de Marco Polo a Pico Yver, passando por Stevenson, Twain, Henry James, Somerset Maugham, Kerouac, Peter Mayle, Bruce Chatwin (que teria sido um grande blogueiro), Bill Bryson, e tantos outros. Quer alguém mais próximo? Um brasileiro que lhe dê as coisas já bem mastigadas? Simples: Ricardo Freire. Mire-se no exemplo do Viaje na Viagem. Para todo travel blogger que se aplique de verdade, vai ser meio caminho andado.

Mas a outra metade, meu amigo, continua dependendo do seu taco... 😉

Foto: Alex Shalamov | Dreamstime®

_____________________________

Marcie Grynblat Pellicano é publicitária e mora há 10 anos em Nova York, onde tem uma empresa de eventos. Desde 2009 escreve o blog Abrindo o Bico, especializado na Big Apple.

Publicado em Criação de conteúdo Tags

10 COMMENTS

Avatar
Lenina - posted on 22/08/2012 10:37
Reply

Adorei o texto!

Avatar
Pedro - posted on 15/08/2012 18:30
Reply

Muito bom! Quando crescer, quero ser como você… 🙂

Avatar
Leonardo Pinheiro - posted on 14/08/2012 12:05
Reply

Marcie, meu parabéns!

Ótimo texto, didático e leve!

Forte abraço,

Leonardo.

Avatar
Clarissa Donda - posted on 03/08/2012 17:42
Reply

A-do-rei! E absolutamente concordo com tudo..

Avatar
Nivia - posted on 31/07/2012 18:14
Reply

Parabens Marcie! Perfeito

Avatar
Guilherme Polita - posted on 31/07/2012 16:57
Reply

Abordagem perfeita! Tô começando meu blog agora, ainda nem tá publicado. Essas dicas vão me ajudar a refletir em como dar uma boa cara pro conteúdo.

Avatar
CarlaZ - posted on 31/07/2012 16:20
Reply

Marcie, como vc já disse em ioutro post, eu sempre quis participar desse mundo dos blogs, mas sabe que até hoje não tenho o meu por esse motivo: não sei escrever bem , não sei gramática e não sei tirar fotos bem!
Pra fazer queria fazer bem feito, então não deu 🙁

Avatar
Carmem - posted on 31/07/2012 00:24
Reply

Uau! Essa é a Marcie: sempre objetiva e bem humorada.
Eu gosto!

Avatar
Rapha Aretakis - posted on 30/07/2012 18:59
Reply

Clap, clap, clap! Excelente texto, Marcie. Compartilhando NOW!

Avatar
Luciana Betenson - posted on 30/07/2012 18:14
Reply

Adorei. Excelente texto. Fico até pensando se devo continuar a ser blogueira de viagem ou se devo virar apenas “simpatizante da causa” 🙂


Deixe um comentário