Publicado em

Opinião: links e blogroll

BY: ABBV6 COMMENTS CATEGORY: Criação de conteúdo

Por Lucia Malla |

Há alguns dias iniciei uma conversa no grupo dos Associados da ABBV no facebook sobre um tópico que me é muito caro: as conversas entre blogs. Considero a conversa o ponto nevrálgico da existência de um blog, e consequentemente da blogosfera como a conhecemos. Mas tenho percebido uma tendência ao isolamento do conteúdo: o blogueiro conversa pouco com seu leitor e praticamente não mais conversa com outros blogs. Estará a idéia de “rede” morrendo na blogosfera? Estaria a comunidade se esvaindo?

Pode ser uma percepção nostálgica minha, mas me lembro de grandes discussões em caixas de comentários e posts-resposta há alguns anos. Fora os diversos posts “inspirados” que geralmente começavam assim: “Hoje li no blog do fulano [link] sobre um passeio em São Paulo e resolvi dar meu pitaco de quando fiz o mesmo passeio em 2003…” Nos últimos tempos, percebi que era cada vez mais raro alguém linkar o outro para puxar uma conversa entre os blogs.

Mais: o blogroll, aquela lista de links que teoricamente dá personalidade a um blog, que avisa ao leitor desavisado com que outros blogs ele mais “conversa” – ou referencia, ou indica, ou segue -  também vem sendo aos poucos abolida.

Durante a discussão no facebook, alguns pontos muito interessantes sobre esse assunto foram levantados. Listo abaixo três deles, não para virarem regra, mas para serem pontos de idéias e reflexões:

- O blogroll é uma área pouco clicada. Quando temos uma página inicial que precisa caber tantos outros elementos, ele tende a ser o primeiro cortado. Alguns blogs resolveram o problema de espaço criando uma página só para os links. Acho uma ótima alternativa, porque mantém a noção pro leitor de quais são seus blogs-bússola.

- O blogroll é fonte de discórdia. As pessoas esperam (erroneamente, em minha honesta opinião) que, ao incluir alguém no blogroll, este alguém também te inclua no blogroll dele. Reciprocidade, em claro português. Ao manter um blogroll só por reciprocidade, você deixa de sinalizar ao leitor principalmente quem são suas referências de viagem num âmbito maior. E corre o risco de perder a credibilidade das suas indicações, já que só indica os que te linkam – o que nem sempre é garantia de qualidade, como sabemos. O ideal é você linkar para blogs que efetivamente acompanha, com quem conversa e discute via posts, onde participa, comenta e se comunica na blogosfera.

- A conversa migrou para as redes sociais. Com certeza, as pessoas passam cada vez mais tempo no facebook, twitter e afins. E a probabilidade de: a) que seu post tenha virado conversa empolgada em um grupo do qual você não faz parte e, b) que você nem venha a saber que houve tal conversa é muito grande. Por isso, a importância de se monitorar de maneira eficiente as redes sociais. Entretanto, o fato da conversa ter migrado não exime um blogueiro de conversar com outro blog via post. E pense bem: se isso acontecer mais vezes, é mais provável que o leitor saia do facebook, clique no link e caia em outro blog com outra discussão -  e com isso, conheça novas esquinas da rede e, quem sabe até, aos poucos esse comportamento traga a conversa de volta pra rua da internet, onde ela foi gerada.

De qualquer forma, o link “inspirado” ainda funciona como uma bússola para o leitor para novas pairagens, onde quem sabe a informação esteja posta de uma outra forma ou com uma informação mais específica que o leitor estava à procura. Além de instigar o bate-papo tanto entre blogueiro e leitor como entre blogueiro e outros blogueiros. Como parte de um projeto de profissionalização, cabe aos blogueiros prezarem o link como um bem valioso do ato de blogar. Afinal, compartilhar links é o que caracteriza primordialmente a blogosfera, o que a torna saudável, unida e colaborativa. E é uma blogosfera assim que a gente espera manter e fortalecer cada vez mais.

P.S.: Devo ressaltar entretanto que a maior parte dos blogueiros da ABBV discordou da minha percepção, e acha que ainda se linka bastante para outros blogs em posts. Acho que no fundo é porque fiquei mal-acostumada com a leitura de blogs em que praticamente todo post era inspirado por uma discussão fervorosa que acontecia em algum outro ponto da blogosfera. Em geral, estes posts ainda tinham ao final uma lista com links de outros blogs que também postaram seus pitacos na conversa – por isso minha cisma com a queda. Fica o esclarecimento.

------------------------------

Lucia Malla é bióloga e Doutora em Biologia Celular e Molecular pela Universiadade do Havaí, onde mora.  É autora do blog Uma Malla pelo Mundo desde 2004.

Foto: Claudio Sepulveda Geoffroy | Stock.Xchng

Publicado em Criação de conteúdo Tags

7 COMMENTS

Avatar
PAULA BRUM - posted on 27/09/2012 17:36
Reply

Lucia, concordo com vc em muitos aspectos, assim como com as demais meninas. Parece que todos queremos ser donos da verdade e isso retira o barato de compartilhar, de discutir e de crescer. Imagina se um grupo, que já teve a oportunidade de se conhecer, se fechar? Como quem está chegando vai poder partilhar, inclusive do conhecimento dos precursores? A blogagem iria desfalecer, perder seu sentido, envelhecer.

Acredito que sempre há algo legal em cada blog, mesmo que você não goste do tema escolhido, da forma com que foi escrito, etc. Assim, a cada visita que faço em um blog, seja lá o que for e mesmo que visite mais de um post do mesmo blog, em pelo menos um deixo um comentário. Considero que aquele que escreveu mereça o reconhecimento, pois me ofertou um pouco de si, de sua história, de seu conhecimento, talvez tenha colorido meu dia…

Seria certo apenas sugarmos o que o outro tem para nos oferecer? Para mim não dá, então comento, tendo interagir, me esforço para fazer valer a pena!

Só para exemplificar: hoje estava dando uma olhadinha num blog pela manhã, acabei conhecendo outro que havia deixado um comentário, fui ver do que se tratava (nada haver com meus interesses), mas não é que me fez lembrar que hoje era dia de Cosme e Damião – logo eu que tenho uma promessa para pagar anualmente havia esquecido?!! Deu tempo de cumpri-la maravilhosamente e adocei o dia de 50 crianças. Não me custou nada deixar um recadinho agradecendo!!

Abraços pessoal.

Paula

http://www.mochilinhagaucha.blogspot.com.br

Avatar
Leo Luz - posted on 05/09/2012 21:47
Reply

Sensacional reflexão. Cheguei nesse post por acaso, mas suponho que as verdades absolutas de alguns blogueiros tenham influenciado nesse processo. Será?

Lucia Malla
Lucia Malla - posted on 04/09/2012 15:00
Reply

Manu, pode ser, é um bom ponto. Mas te digo que, exatamente por perceber essa tendência, acho que seria bacana reavivar os blogs como ponto de conversa. Para os mal-educados, há sempre a opção do banimento do comentário.

Paula, as pessoas não falam só: elas gritam. Pq, claro, ninguém se sente “bem” falando sozinho, e, a não ser que a pessoa tenha um problema psiquiátrico, logo ela percebe que está falando sozinha nas redes sociais. E concordo muito com vc: isso deriva do fato de que não somos acostumados a ouvir o outro. E nem a respeitar a diversidade – como a Manu falou, a maneira mal-educada como muitos respondem na internet reflete isso, o “meu certo é o único que existe, então deve prevalecer sempre”. É difícil para as pessoas assimilarem que o mundo não é só preto ou branco, que há diversos tons de cinza e amarelo e verde e etc.

Damares, acho que ainda aos poucos aprenderemos como lidar com isso. O Facebook qqer dia passa a moda, e assim precisaremos de outro ponto de encontro para conversas virtuais. Emails podem ser um bom início de conversa. Mas sinceramente, em caso de blog, o que me incomoda em usar apenas email é que gosto de abrir a conversa para mais pessoas participarem. 🙂

Obrigada pela participação de vcs! 🙂

Avatar
Damares Lombardo - posted on 01/09/2012 06:02
Reply

Penso exatamente como a Manu. Eu recebo até mesmo mais emails com perguntas, do que comentários nos posts que coloco em meu blog. Ainda estou tentando entender bem esse tipo de comportamento dos leitores.

Avatar
Paula Bicudo - posted on 28/08/2012 10:04
Reply

Lucia, de forma geral o diálogo está acabando na internet porque reflete a sociedade: ninguém quer ouvir o outro. Pode reparar nos grupos de discussão do FB, no twitter e mesmo nas caixas de comentários dos blogs: todo mundo fala sozinho o tempo todo, e fala muito.

Avatar
Manu Tessinari - posted on 23/08/2012 13:53
Reply

Lucia, eu acho que as discussões se enfraqueceram sim, mas de modo geral. Os comentários nos blogs são sempre minoria e, muitas vezes, os discordantes levam “pedradas” absurdas, em um país que parece difícil descordar. O twitter já perdeu sua força como ponto de bate-papo (não digo que não exista, mas a febre passou) e o facebook virou lugar de frases prontas e chatices do gênero. Acho que é um pouco a tendência brasileira, não? Começam os antenados, vira febre, faz-se piada de tudo e depois o povo parece que fica sem assunto e começa a compartilhar bobeiras prontas. O que fica são os pequenos grupos de amigos feitos e as discussões acabam acontecendo de forma particular, privada. Longe de ser um especialista, mas acho que é por ai…


Deixe um comentário