Publicado em

Tecnologia em evidência no turismo – Entrevista com Magda Nassar, da ABAV

BY: Fernanda Castelo Branco0 COMMENTS CATEGORY: Dados do setor, Eventos

Uma das principais entidades de turismo no Brasil, a ABAV (Associação Brasileira de Agências de Viagem) representa mais de 2 mil empresas em todo o país, entre agências de viagens, operadoras de turismo e consolidadoras, que juntas respondem por cerca de 85% de toda a movimentação de vendas do setor.

Com 65 anos de história, a ABAV acompanhou muitos momentos de mudança no mercado, e agora vive mais uma nova fase. A evidência foi a programação da ABAV Expo este ano, que incorporou diversos temas relacionados ao universo digital, debatendo a incorporação de tecnologias, estratégias de marketing e também o relacionamento entre as empresas e os influenciadores digitais.

Entrevistamos Magda Nassar, presidente da ABAV Nacional, sobre o cenário atual do turismo no Brasil. Investidora, empreendedora e agente de viagens desde 1987, Magda é a primeira mulher na liderança da instituição, assim como foi a primeira a presidir a Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), entre 2015 e 2019.


1) No painel de abertura da ABAV Expo 2018, foi dito que o turismo é um ramo com capacidade de se recuperar rápido em cenários de crise. Como está o otimismo do setor este ano?

Magda Nassar - Estamos muito confiantes no fortalecimento do setor, inclusive devido a vitórias recentes como a abertura de 100% de capital estrangeiro em companhias aéreas nacionais, isenção de vistos para turistas dos EUA, Canadá, Japão e Austrália e o veto à isenção na cobrança de bagagem. São fatores que devem estimular o setor a curto e longo prazo, com mais atrativos para turistas estrangeiros visitarem o Brasil e mais competitividade no setor aéreo, o que deve baratear o valor das passagens aéreas e expandir nossa malha aérea.

Além disso, vale destacar que, mesmo em um cenário de crise, o brasileiro segue com planos de viajar sempre que tem a oportunidade, seja em um feriado prolongado ou nas férias. O que acontece é uma mudança no comportamento do consumidor, que passa a buscar alternativas para viajar. Se o dólar ou euro estão mais caros, vemos um movimento de procura por viagens em destinos onde o câmbio é mais favorável ou então maior busca por destinos nacionais, por exemplo. As agências apoiam esse processo de decisão, pela capacidade que têm de fazer os ajustes necessários para que qualquer viagem caiba no bolso do seu cliente.

O mercado também contribui favoravelmente, pois nos momentos de maior instabilidade responde com promoções e vantagens, como opções de parcelamento maiores e dólar congelado. O turismo é um setor de suma importância para a economia nacional, representando 8,1% do PIB brasileiro e 6,9 milhões de empregos no país, segundo estudo do World Travel and Tourism Council (WTTC), divulgado em março de 2019.


2) A programação da ABAV Expo 2019 teve uma Arena Digital, com uma proposta de trazer abordar temas como transformação digital e marketing multicanal. Que inovações já vêm sendo aplicadas no mercado de turismo? Como o setor de serviços está se transformando para a era digital orientada à experiência?

Magda Nassar - O setor de turismo foi um dos que mais se transformaram na era digital, e é natural que o agente de viagens tenha que se adaptar ao novo cenário. É preciso apostar em novos canais de comunicação com o consumidor, investir em sites e portais que estimulem o engajamento e conversão, além de estudar a fundo dados dos usuários para identificar novos padrões de comportamento e desenvolver estratégias de vendas orientadas para as novas tendências de consumo.

Hoje em dia já vemos uma quebra de barreira das agências do chamado modelo "tradicional" se fazendo presentes também no meio digital, lançando mão de estratégias de marketing voltadas para o online e explorando mais as redes sociais para captar e fidelizar clientes. Nós, na ABAV, temos incentivado muito essa prática junto aos nossos associados, o que fortalecemos também por meio da oferta de cursos do ICCABAV – que este ano, por sinal, transformou a sua plataforma em 100% digital – e apresentações da Vila do Saber, que é a área dedicada à difusão de conhecimento da ABAV Expo.

A tecnologia teve grande destaque na ABAV Expo 2019, com ativações como a área de Inovação, em parceria com a Travelport, em que desenvolvedores apresentaram as tendências na área, e empresas consolidadas e startups trouxeram inovações desenvolvidas especialmente para o mercado de turismo, além de dezenas de outros expositores focados nas áreas da tecnologia da informação e gestão de sistemas.


3) A pesquisa realizada pela Panrotas este ano apontou que "o incômodo e o sentimento de competição que os profissionais de turismo tinham em relação aos influenciadores já foi dominado. Vemos as próprias agências e operadoras se utilizando desses canais para promover seus serviços". Como a ABAV vê este novo momento na relação entre agentes e influenciadores digitais?

Magda Nassar - Entendemos que, entre os vários fatores que afetam a decisão final do consumidor (promoções, condições exclusivas de pagamento etc), os influenciadores podem ser grandes aliados das agências, pois democratizam o acesso à informação e fomentam a curiosidade e o interesse de potenciais viajantes, além de criar o desejo por um destino turístico, um hotel ou uma experiência. Há, inclusive, agências de viagens que já atuam em parceria com esses profissionais para promover seus pacotes e serviços, com ótima taxa de conversão.

Na feira deste ano, tivemos algumas novidades significativas nesse sentido, como um lounge para influenciadores dentro do "Espaço Conectividade", que marcou a grande ação promovida este ano envolvendo 100 influenciadores digitais de lifestyle e viagens na divulgação do evento.


4) A inclusão e a diversidade são temas em alta na sociedade hoje, e que estiveram em pauta tanto na ABAV Expo 2018 quanto na edição de 2019. O mercado tem despertado para segmentos como o público negro, o público LGBT+, pessoas com deficiência e viajantes da terceira idade (que atualmente representam expressivos 22% entre os clientes das agências de turismo). Para além das oportunidades de produtos de nicho, qual o impacto social de se debater as questões específicas de inclusão?

Magda Nassar - O turismo é uma atividade democrática, com grande impacto cultural, por isso é muito importante que as agências estejam atentas à importância de atender aos mais variados nichos de consumidor e propiciar experiências memoráveis para seus clientes.

Mais uma vez, é importante que o agente se capacite e atualize seus conhecimentos para estar apto a atender demandas específicas de um viajante com deficiência, o público LGBT e até mesmo compreender algo relativamente novo, como a gordofobia e a transfobia, dois dos temas que trouxemos para o debate este ano. Por meio do turismo, é possível ter experiências de vida transformadoras e queremos que ele esteja ao alcance do maior número possível de pessoas.

Leia também:

Publicado em Dados do setor, Eventos Tags , , , ,

Deixe um comentário